cduparedesdecoura @ 14:03

Qua, 04/09/13

Celina Sousa, 30 anos, educadora de infância e professora de Educação Especial. Desde os 18 anos que integra as listas da CDU, em 2001 foi candidata às autárquicas como independente. É militante do Partido Ecologista “Os Verdes”, desde 2003, que é uma das forças políticas que integram a CDU. Em 2006 passou a fazer parte do Conselho Nacional Partido Ecologista “Os Verdes”.

Concorreu nas listas da CDU, nas autárquicas de 2005 e 2009. Concorreu também às eleições legislativas pelo círculo de Viana do Castelo em 2005, 2009 e 2011.

 

É oficialmente candidata à Câmara Municipal de Paredes de Coura pela CDU, mais conhecida entre nós pelo PCP. O que a levou a aceitar este desafio?

Eu sou candidata pela CDU, que é uma coligação entre partidos políticos, entre os quais o PCP. Mas eu sou militante do PEV. Os companheiros de coligação dirigiram-me este desafio, e foi deste modo que o encarei, como um desafio para dar um contributo para a minha terra, no sentido de ser uma voz promotora de debate politico, com ideias concretas e realistas para o nosso concelho. Acredito neste projeto e nas pessoas que dele fazem parte.

Espero que a votação da CDU, nestas eleições saia reforçada, pois penso que os nossos eleitos no concelho, não tem desiludido, pelo contrário tem sido uma voz ativa e imprescindível.

 

É a primeira mulher a concorrer à presidência da Autarquia courense e, como tal, ficará na história das eleições autárquicas do concelho. Pensa que a sua condição feminina poderá ser uma mais-valia ou, antes pelo contrário, poderá ser um entrave?

É para mim um grande orgulho ser uma pioneira nesse aspeto, pelo que espero que seja uma mais-valia. Julgo que a presença feminina na política deve surgir naturalmente, e considero que as quotas por vezes são um pouco castradoras. Percebo que para alguns courenses seja um pouco “estranho” ver uma mulher candidatar-se à presidência da autarquia, mas penso que mais cedo ou mais tarde, era algo inevitável. Espero com a minha candidatura levar mais mulheres às mesas de voto, mas acima de tudo espero ver as mulheres serem mais interventivas na vida política do nosso concelho.

 

O que pensa da estratégia de gestão seguida pelo atual executivo, que já está no poder há vários mandatos, principalmente no que diz respeito a obras públicas?

No âmbito da CDU, pensamos que em termos de gestão foram cometidos vários erros. Consideramos importante que todas as decisões sejam pensadas a longo prazo, no sentido de não hipotecar as gerações vindouras. Pensamos que as obras públicas realizadas, pecam pelo excesso, ou melhor estão a ser mal direcionadas, isto além de porem em risco a gestão financeira do município, tento-o obrigando, ainda recentemente, a realizar um empréstimo de valor bastante elevado. As obras como as Portas do Corno de Bico, não fazem muito sentido, teria sido muito mais proveitoso, investir, por exemplo, na remodelação da Central de Camionagem.

 

Quais foram, na sua opinião, os maiores erros cometidos na gestão do concelho e, também, quais as melhores apostas praticadas durante estes anos?

Pensamos que um dos piores erros foram os anos de governação de costas voltadas para os cidadãos. É importante auscultar as suas opiniões. Nós tentamos encarar a crítica como sendo construtiva e geradora de mudança positiva.

Pensamos que a perda da soberania sobre a gestão da água foi um erro colossal, a água só pode ser encarada como um bem público. Temos um concelho com água em qualidade e quantidade fantásticas e vamos ter que paga-la a peso de ouro.

Um outro aspeto que nos preocupa no concelho tem sido a perda de serviços públicos, nomeadamente o encerramento das urgências. Somos um concelho pequeno, mas também bastante isolado, por isso não podemos olhar para os serviços públicos sobre uma perspetiva economicista, mas sim com a perspetiva de servir a população. O município não pode permitir este ataque aos serviços públicos, tem que fazer compreender ao Governo que temos as nossas especificidades, e que os cidadãos de Paredes de Coura pagam impostos como todos os restantes portugueses, pelo que não podemos ser tratados como portugueses de segunda.

 

Na sua opinião qual é o estado atual  do concelho? Quais os pontos fortes que poderão ser aproveitados e quais as áreas mais deprimidas?

Pensamos que em termos turísticos tem existido alguma aposta, mas julgamos que pode ser feita muito mais e melhor direcionada. É preciso manter o nosso rio Coura limpo, para o podermos utilizar como forma de turismo sustentável.

Consideramos que é necessário promover a agricultura de âmbito familiar, promovendo o consumir local. Não faz sentido comprarmos produtos hortícolas de outras zonas do país, ou mesmo de fora do país, se temos condições para produzi-los em Paredes de Coura.

Para nós a avalanche de obras que o concelho tem sentido nos últimos meses, é um pouco disparatada em termos de gestão. Contudo a construção do Centro de Atividades para pessoas com necessidades especiais é uma boa aposta, e peca por ser tardia. Esperamos no entanto que não se trate de uma jogada eleitoral, e que depois de inaugurado o Centro fique às moscas, porque temos em Paredes de Coura muitas pessoas que precisam dele.

 

Apresente-nos as principais linhas orientadoras da sua candidatura.

O programa eleitoral da CDU, passa muito pela governação de proximidade ao cidadão. Não temos pretensões megalómanas. O nosso objetivo é praticar politicas que verdadeiramente sirvam as populações.

Consideramos que o investimento no concelho deve ter sempre em linha de conta a garantia de serviços públicos como saúde, educação, utilização pública da água ou transporte públicos, entre outros. Não é admissível que se demore mais que 30 minutos a chegar a um hospital.

Em termos concelhios é essencial a construção do acesso à A3, ou de acessos mais rápidos a Valença e a Ponte de Lima, pois consideramos que só desta forma se pode potencializar o crescimento do concelho. Estes acessos permitirão um aumento na fixação da indústria e do crescimento da agricultura. Temos um património natural de uma riqueza espantosa, mas a paisagem não é suficiente para cativar investidores, pois ninguém ponderará investir em Paredes de Coura, se vai ter custos no transporte das mercadorias superiores a outros concelhos.

A reabertura do serviço de urgência sem interrupções também é crucial.

É ainda importante criar uma rede mais abrangente, de apoios domiciliários e centros de dia para apoiar a terceira idade, pois é do conhecimento geral que grande parte da população do concelho é envelhecida e sobrevive com pensões muito baixas, que por vezes nem são suficientes para garantir apoio médico/medicação.

O desemprego é uma área que também nos preocupa muito. Tem sido difícil assistir ao aumento do fluxo de emigração no nosso concelho. Há muita gente jovem e competente que tem partido por já não encontrar solução cá.

 

 



De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres